Amazonino Mendes : o Negão chegou, pela reconstrução do Amazonas voto 12!

Amazonino: ‘vou provar que mulher também manda no governo’

21 de agosto de 2018 - Manaus (AM)

O candidato a governador pela  coligação “Eu Voto no Amazonas”, Amazonino Mendes (PDT) disse, no sábado (18/08), que, pela primeira vez na história do Estado as mulheres terão poder total de decisão na administração do Estado. Ele se referiu à sensibilidade e à capacidade de gerência da candidata a vice-governadora em sua chapa, Rebecca Garcia (PP).

“A Rebecca e eu conversamos durante um mês sobre  como atender às mulheres. E sabe da maior? Nós vamos provar que mulher também manda e elas vão mandar no meu governo”, disse.

A declaração de Amazonino foi dada logo após ele participar de bandeiradas, “adesivaços” e visitar obras em Manaus, na festa de lançamento da candidatura a deputado estadual do empresário Roberto Cidade (PV), na, zona norte.

“As mães receberão  o carinho direto da Rebecca.  Eu aprendi muito no meu primeiro governo, um pouco mais no segundo e outro tanto no terceiro. E continuo aprendendo. Poucos têm a experiência que eu tenho para governar e consertar o Estado. E quero deixar um recado para vocês: a Rebecca, representando as mulheres, vai mandar no meu governo”, disse.

Para a próxima gestão, Amazonino Mendes e Rebecca Garcia informaram que pretendem implantar novos programas e ações voltados a saúde da mulher, com uma política de combate ao câncer de útero, uma vez que é o que mais mata no Amazonas. Será desenvolvido um programa para construção e ampliação de maternidades em Manaus e no interior do Estado, com destaque ao atendimento nos municípios mais populosos.

Reconstrução

Amazonino Mendes, acompanhado de Rebecca e do deputado federal Alfredo Nascimento (PR), candidato a senador, ressaltou que assumiu o governo há dez meses com a máquina pública em situação pré-falimentar. “Vocês precisam entender o que está acontecendo. O Estado do Amazonas estava morto, arrebentado. O Estado está sendo remontado, reconstruído. O interior estava entregue ao ‘Deus dará’. Nós não estamos brincando. A gente trabalha. Abandonaram a saúde pública e deixaram tudo quebrado. Nós estamos reconstruindo. Temos que reorganizar a UEA (Universidade do Estado do Amazonas), e colocar o Amazonas no prumo, de novo”, disse.

Foto: Clóvis Miranda