Amazonino Mendes : o Negão chegou, pela reconstrução do Amazonas voto 12!

Candidatos

Amazonino Mendes

Biografia pessoal

Amazonino Mendes é o quinto de seis filhos de seu Armando e dona Francisca.
Nasceu em Eirunepé, na calha do riu Juruá.
Iniciou os estudos em sua cidade natal. Foi aluno do Colégio Dom Bosco, em Manaus, e do Seminário do Espírito Santo, em Tefé.
Iniciou a vida política pelos movimentos estudantis. Pela militância chegou a ser preso.
É advogado formado pela Faculdade de Direito da Universidade do Amazonas e empresário.
Trabalhou no Departamento de Estradas de Rodagem do Amazonas nas décadas de 1970 e 1980.
Em oitenta e três assumiu a Prefeitura de Manaus. Foram três mandatos no comando da capital (1983-1986 / 1993-1994 / 2009-2012) marcados por profundas transformações da cidade.
Foi Senador (1991-1992), um defensor da Zona Franca de Manaus.
Está no quarto mandato de Governador (1987-1990 / 1995-2002 / 2017-2018).
Nenhum outro fez tanto pelo Amazonas!
Quase todos os hospitais, postos de atendimento e programas na área da saúde existentes no estado foram criados por Amazonino. Também foi o que mais entregou escolas; construiu a UEA – Universidade Estadual do Amazonas.
Com ele os servidores voltaram a receber em dia e os investimentos chegaram a todos os cantos: asfalto novo nas ruas, casas populares, urbanização, monitoramento por câmeras e o polo graneleiro para permitir um novo ciclo de desenvolvimento da Amazônia.

Biografia política

Iniciou na política pelos movimentos estudantis. Foi preso pelo regime militar.
Como advogado, defendeu em tribunais superiores políticos amazonenses cassados.
Em oitenta e três assumiu a Prefeitura de Manaus pela primeira vez. Foram três mandatos que mudaram a vida de quem vive na capital.
Entrou para a lista dos melhores prefeitos do mundo em 2010.
Urbanizou comunidades; construiu casas populares; mais de onze mil ruas receberam asfalto novo; melhorou o transporte público e a cidade ficou com a frota de ônibus mais nova do Brasil.
No Senado foi um dos maiores defensores da Zona Franca, garantindo empregos e renda no estado.
É o governador com mais realizações! Suas obras e programas estão em todo o estado.
Dos cento e trinta hospitais, noventa e sete foram construídos durante as administrações de Amazonino. Também foi quem mais entregou escolas. Criou a Universidade Estadual do Amazonas; concluiu obras paradas há mais de vinte anos como a Vila Olímpica. Estimulou o turismo e as tradições regionais com a construção do Bumbódromo de Parintins, o cirandódromo de Manacapuru e a restauração do teatro Amazonas.
Ao assumir o governo em 2017 arrumou a casa.
Nenhum outro governador fez tanto em tão pouco tempo!
Voltou a pagar servidores e prestadores de serviço em dia. Deu aumento ao funcionalismo e pagou gratificações.

 

Biografia realizações

Uma vida de realizações! Ao assumir a Prefeitura de Manaus em 1983 começou um programa de urbanização de comunidades da periferia da capital.
Deixou a capital com a frota de ônibus mais nova do Brasil e entrou na lista dos melhores prefeitos do mundo.
É um dos maiores defensores do polo industrial e foi contra decisão do Presidente que retirava vantagens fiscais da Zona Franca, previstas na Constituição.
Amazonino fez quase todos os hospitais do Amazonas (97 de 130). Entregou 173 pontos de atendimento médico no estado, entre eles o Hospital Francisca Mendes.
Garantiu remédio para a população através da central de medicamentos.
Construiu CAICs, CAIMIs e as Casonas da saúde.
É de Amazonino a marca do maior número de escolas já construídas no Amazonas. (de 1.031 escolas -> 484 construídas por Amazonino). E o cuidado com o futuro vai além: creches, telecentros e bibliotecas.
Duplicou a Avenida Tapajós e a Estrada do Japiim.
Levou asfalto novo para o interior e a capital. Construiu casas, reformou conjuntos habitacionais, implantou o monitoramento com 453 câmeras na capital.
Estimulou a cultura e o turismo com a restauração do Teatro Amazonas, o Bumbódromo de Parintins, o Cirandódromo de Manacapuru.
Concluiu obras paralisadas há mais de vinte anos como a Vila Olímpica.
Criou o programa Terceiro Ciclo para promover o desenvolvimento do interior através da produção de grãos.
Ao assumir o estado em 2017 arrumou a casa.
Voltou a pagar servidores e prestadores de serviço em dia. Deu aumento ao funcionalismo e pagou gratificações.
Nenhum outro governador fez tanto em tão pouco tempo!

 

Biografia unificada

Amazonino Armando Mendes nasceu em Eirunepé (AM), em 16 de novembro de 1939, filho de Armando de Sousa Mendes e de Francisca Gomes Mendes. Iniciou os estudos em sua cidade natal, tendo sido aluno do Colégio Dom Bosco, em Manaus, e do Seminário do Espírito Santo, em Tefé (AM). Formou-se pela Faculdade de Direito da Universidade do Amazonas em 1969.
Iniciou sua carreira política em abril de 1983, ao ser nomeado prefeito de Manaus pelo governador Gilberto Mestrinho. Em seu mandato, deu especial atenção à urbanização dos bairros periféricos.
Em 1994, Amazonino foi eleito governador do Amazonas já no primeiro turno, sendo reeleito em 1998. Em seu governo, criou o polo graneleiro de Itacoatiara (AM) e a Companhia de Gás do Amazonas (Cigás). Implantou o programa denominado Terceiro Ciclo, destinado a promover o desenvolvimento do interior do estado através da produção de grãos.
Mantendo as contas do governo sob controle, Amazonino fundou a Universidade do Estado do Amazonas (UEA), construiu 484 escolas em todo o estado e revolucionou a saúde: 173 pontos de atendimento na Capital e no interior foram criados, quase 80% do total existente até então, entre inúmeras outras realizações.
Prefeito de Manaus de 2009 a 2012, Amazonino entregou mais de 600 salas de aula, modernizou o sistema de ensino e valorizou professores. Foi o criador do Bolsa Universidade, do Leite do Meu Filho, além de expandir o atendimento às mulheres de Manaus com as Carretas da Saúde.
Nenhum governante fez tanto pelo Amazonas quanto Amazonino Mendes.

Rebecca Garcia

Rebecca trabalhou no mercado financeiro e comandou empresas de comunicação.

Sua vida política começou em 2006, quando foi eleita deputada federal pela primeira vez, sendo reeleita em 2010.
Em Brasília, defendeu avanços para o Polo Industrial de Manaus, o desenvolvimento do interior e deu especial atenção às mulheres, sendo autora do projeto de lei que obriga o SUS a fazer cirurgia reparadora em pacientes com câncer de mama.

Como superintendente Suframa, responsável pela administração da Zona Franca de Manaus, Rebecca ficou conhecida pelo trabalho acima da política e do partidarismo, tendo a geração de emprego e a sustentabilidade econômica como principais objetivos.

Rebecca é casada e tem dois filhos.